Mirantes em Arequipa – Passeio de meio dia e de graça

A cidade de Arequipa foi construída em um vale, por isso possui vários desníveis. Essa geografia acabou criando alguns mirantes em Arequipa, de onde a gente pode admirar a cidade e os vulcões com uma vista privilegiada.

O melhor é que não custa nada, podendo ser feito facilmente por conta e em um rolê de meio dia.

Eu estava com um dia livre em Arequipa, já que não pude fazer o Trekking no Valle del Colca por causa do meu joelho. Fui ao escritório da iPeru e me informei sobre o que eu poderia fazer de graça.

A funcionária começou a listar várias igrejas e museus, mas eu queria algo diferente daquilo e perguntei se havia algum mirante na cidade. Ela me deu um mapa, circulou alguns e me explicou como chegar.

Convidei o Yuri e o Igor (que conheci em Huacachinaleia mais no relato da viagem) pra irem comigo. Nos encontramos na Plaza de Armas e seguimos para conhecer os Mirantes de Arequipa.

Booking - Peru

Valor de referência de câmbio - S/1 = R$1,05

Mirantes em Arequipa

Os mirantes de Arequipa, chamados de miradores em espanhol, ficam nos bairros ao redor do centro da cidade. Um ou outro são incluídos nos city tours vendidos por lá.

São quatro mirantes em Arequipa:

Mirador de Carmen Alto
Mirador de Yanahura
Mirador de Pachacutec
Mirador de Sachaca

Os nomes dos mirantes são os nomes dos bairros onde estão.

Do alto dos mirantes de Arequipa podemos ver os 3 vulcões (El Misti, Chachani e Pichu Pichu) e uma boa parte da cidade.

Passeio de meio dia aos Mirantes de Arequipa

Os Miradores de Pachacutec e Sachaca são mais distantes, por isso não o incluímos no nosso passeio.

Na Plaza de Armas, tome um táxi até o Mirador de Carmen Alto. O motorista vai te deixar na avenida, de onde você deve seguir a pé por poucos metros.

Depois, volte à avenida e tome um táxi até o Mirador de Yanahura, um dos mais lindos mirantes em Arequipa. Aqui, vale a pena circular a praça antes de voltar para o centro.

Recomendo voltar caminhando. São cerca de 20 minutos descendo, passando por ruelas coloniais, com casinhas charmosas.

Nesse rolê você vai conhecendo mais a cidade, passando por vias movimentadas, onde a vida não turística acontece. Você vai passar pelo Rio Chili, com um visual bem lindo!

Vá ao escritório do iPeru para pegar um mapa e pedir instruções, mas o caminho é bem fácil! Veja aqui.

Mirantes em Arequipa - Mirador de Yanahura
Mirador de Yanahura

Mirantes em Arequipa - Mirador de Carmen Alto
Mirador de Carmen Alto

Quanto custa o passeio aos mirantes de Arequipa

Fazer esse rolê massa e bonito aos mirantes de Arequipa não custa quase nada.

Os gastos ficam apenas por conta dos táxis, entre S/12 e S/15 – que pode ser dividido em até 4 passageiros.

Eu gastei S/5, porque estávamos em 3 pessoas.

No final do post tem as informações e gastos da viagem por Arequipa.

Relato – Mirantes em Arequipa e Plaza de Cayma

Mirantes em Arequipa

Do meu hostel, o Albergue Español, combinei de encontrar meu companheiros de Huacachina e do Canion del Colca pra o rolê dos mirantes em Arequipa.

Na Plaza de Armas de Arequipa, em frente ao iPeru, nos encontramos e tomamos um táxi, que nos cobrou S/8 até o Mirador de Carmen Alto.

Alguns minutos depois de subir várias ruas, o taxista nos deixou em um mirante feio, vazio e malcuidado. Achamos estranho, porque a moça do iPeru não nos mandaria pra aquele lugar.

Uma senhora vendendo helado de queso (sorvete de queijo) na porta desse mirante nos disse que não era aquele. O taxista errou! Nos disse que era longe e deveríamos pegar outro táxi. Tivemos que desembolsar mais 7 soles pra chegar no mirante certo.

O Mirante de Carmen Alto é bem bonito e estava quase vazio, acho que por ser segunda –feira.

Havia uma família peruana que me pediu pra fazer fotos e me disse que amam o Brasil, que já vieram pra cá algumas vezes e que estão planejando vir de novo. Super simpáticos! Amo quando digo que sou BR e a galera me trata como se eu fosse um filhote ♥

Uns minutos depois eu decidi perguntar pra umas moças o que era uma construção que dava pra ver dali. Uma delas me explicou e começou a perguntar a mesma coisa que a família: De onde é? Tá viajando sozinha? Já passou por onde?

Depois de conversarmos um pouco, elas se foram. Ficamos só o Yuri, o Igor e eu no Mirador de Carmen Alto e decidimos seguir pra o outro mirante.

Mirantes em Arequipa - Mirador de Carmen AltoMirantes em Arequipa - Mirador de Carmen Alto

O carro em que as 3 moças estavam parou e elas nos ofereceram carona. O motorista era irmão de uma delas e as outras duas eram alunas de turismo.

Eles iriam para a Plaza de Cayma, um distrito de Arequipa, antes de seguirem ao mirante e nós topamos ir junto.

Elas nos usaram pra treinar o que falariam para os alunos de uma escola primária e nós tivemos um passeio guiado na faixa!

A Praça de Cayma é muito fofa e foi muito importante no período colonial. Outra hora escrevo mais sobre o lugar.

Dali, seguimos para o Mirador de Yanahura, que é extremamente lindo, com arcos que formam um cartão postal com o Vulcão Misti ao fundo.

Ali há uma feirinha de artesanato e um museu, que tava fechado.

O irmão motorista nos levou a pé até a metade do caminho enquanto elas treinavam o tour na Plaza de Yanahura. Ele foi muito gentil, nos acompanhando até o Rio Chili, de onde seguimos sozinhos e encantados com aquele pessoal!

Me despedi do Yuri e do Igor, que são irmãos e vivem em Maceió, com a promessa de que nos veríamos em Cusco, o que não rolou. Vou ter que ir a Alagoas pra dar um tchau decente!

Mirantes em Arequipa - Praça de CaymaMirantes em Arequipa - Mirador de YanahuraMirantes em Arequipa - distrito de Yanahura

Minha viagem a Arequipa

Passeios

Gastos

S/ 215
R$ 225
USD 68

Rotas

Ica em ônibus
S/90
Puno em ônibus
S/ 22

Hospedagem

El Albergue Español Backpackers – USD 5 (comp. 4 camas)

Salve esta imagem no Pinterest e leia o post mais tarde

Ajude a rentabilizar o blog

Usando os links abaixo, você me ajuda a rentabilizar o blog e não paga nada a mais por isso

Assine a news

Dicas, informações, roteiros e inspirações no seu email

Nome
Email
Me identifico como
  • Josiane Jardim Muniz de Souza (10 de janeiro de 2018)

    Olá, gostei muito das dicas sobre Arequipa. Conheci Cusco em 2015. Tenho uma dúvida e, espero que possas me esclarecer… Lá em Cusco tem uma praça quadrilátera linda e muito florida que é chamada: Plaza de Las Armas. Uma praça com esse mesmo nome em Arequipa é mera coincidência?

    • Aline Rodrigues (11 de janeiro de 2018)

      Oi, Josiane. Nada de coincidência! As praças do Peru tem esse mesmo nome. Em quase todas as cidades, inclusive nas Ilhas de Puno.
      Tem Plaza de Armas em Cusco, Arequipa, Lima, Isla Taquile, Trujillo… Vou procurar saber o porquê e escrevo aqui no blog 😉
      E obrigada pela visita e feedback!

      • Angelica (7 de fevereiro de 2018)

        São chamadas de Plaza de Armas porque eram, no passado, o Centro de reunião das forças armadas, local de concentração dos guerrilheiros, soldados e quetais para proteção da cidade em caso de invasão

  • Angelica (7 de fevereiro de 2018)

    Minha querida . Parabéns pelo blog espetacular, fotos magníficas e detalhes imprescindíveis para viajantes. Estou te acompanhando, te dissecando pois em Maio/2018 estarei fazendo Peru por 20 dias. A princípio itia de Lima a Paracas e Nazca e resolbi mudar e de Lima vou direto para Huaraz ficando em Lima apenas 8 horas. Estou encantada com suas fotos e relatos e estou com uma duvida com relação aos valores gastos em seus tours que estão bem acima das propostas q recebi. Foram tours privados? Obrigada por toda a sua dedicação em nos alimentar e inspirar culturalmente e visualmente com todos is seus passeios .

    • Aline Rodrigues (7 de fevereiro de 2018)

      Poxa, Angelica, que linda! Obrigada pelo carinho. Fico muito feliz em saber que o blog tá ajudando no seu planejamento.
      Boa incluir Huaraz! As belezas de lá são absurdas!
      Sobre os preços, a maioria fiz em tour privado, porque no Peru a diferença entre fazer por conta acaba não compensando. Se você recebeu preços bem menores, pesquise a agência pra garantir que não é golpe. Se não for, manda a ver!

  • Jussara (5 de março de 2018)

    Eu e meu marido fomos ao Peru recentemente, mais preciso em 30/01/2018.

    A viagem foi um pesadelo, e passei para dar mais dicas sobre o Soroche.

    Ficamos em Lima por 1 dia, e foi tudo muito bacana.

    Seguimos para Cusco no dia seguinte. Quatro horas após chegarmos em Cusco começa nosso pedadelo.

    Ele começou a sentir os efeitos do soroche. Naquela tarde em que chegamos, a única coisa que fizemos fora do hotel, pois lá mesmo compramos todos os passeios aos lugares lindos que queríamos conhecer e depois , fomos ao centro turistico comprar as entradas para Matchu Picchu que seria para 3 dias depois.

    Voltamos pro hotel e ele só piorava, sentindo uma forte dor do lado esquerdo do abdomem.

    Quase não dormiu a noite toda. Pela manhã não quis se alimentar. Fomos a farmácia e compramos a pílula mas não melhorava.

    Não almoçou, e percebi que estava começando a ficar com a pele e olhos amarelos e com dificuldade para respirar.

    Havíamos comprado o city tour em Cusco que começava no templo do sol. Entramos, e eu só olhava pra ele e sua expressão cada vez mudando, passou a sentir dificuldades para respirar.

    Lá mesmo no templo, cancelei o restante do city tour e voltamos pro hotel.

    Resolvi acionar um médico e ele saiu do hotel de ambulância para o hospital.

    Ficou internado quatro dias em uma clínica especializada no mal da altitude.

    Sofreu um edema pulmonar e um infarto esplênico (infarto do baço), foi diagnosticado no nivel grave do mal da altitude.

    Os médicos nos orientaram a cancelarmos todos os passeios e depois de quatro dias de internação a recomendação foi:
    Sair direto do hospital de ambulância, sempre no oxigênio direto para o aeroporto de Lima e de lá urgente para o Brasil.

    E que ao chegarmos no Brasil seguissemos direto para o hospital.

    Fizemos isso. Em São Paulo ficou 10 dias internado com o risco de ter que retirar o baço.

    Graças a Deus parou de sentir dores, não fez a cirurgia, e foi estabilizando mas agora o saldo da viagem é passar em vários especialistas e está fazendo muitos exames médicos e acompanhamento contínuo, pois ao menor sinal de dor precisará retirar o baço.

    Tudo o que havíamos pago perdemos. A única coisa que está previsto para recebermos em 30 dias, é o reembolso das passagens de trem para Matchu Picchu, que terá 10% de desconto, mas nem tem previsão de quando receberemos. Fui ate a Peru Rail e consegui cancelar.

    Acho que ao Peru não mais voltaremos.

    A parte boa, é que descobri um povo solidário e humanizado, e trouxe a linda visão do Templo do Sol, que aqueceu meu coração e me preparou para dias tão assustadores que eu ia passar.

    Abraços Jussara

    • Aline Rodrigues (5 de março de 2018)

      Nossa, que horror a sua experiência. Jussara, não diminuindo nada do que vocês passaram, mas procure saber com os médicos se ele tinha alguma prré disposição pra algo do tipo, porque Cusco não é muito alta pra causar um estrago tão grande e sem atividades.
      A altitude começa a fazer efeito a partir de 2500, mas são os sintomas básicos, como dor de cabeça. Começa a pegar forte a partir de 3500, mas ainda assim, nada sério demais, só taquicardia, dor de cabeça, falta de apetite.
      Os sintomas que você descreveu são sentidos a partir de 5 mil. A zona da morte, a partir de 6 mil.
      Pode ser que seu marido já tenha algo que desencadeou nisso.
      Pra saber mais, leia esse post aqui do blog. É bem recheado de dicas e informações sobre o soroche.
      Melhoras pro seu marido!

Deixe uma resposta

You Might Also Like

Here you can find the related articles with the post you have recently read.