Alter do Chão, quando ir e como chegar

Alter do Chão, quando ir e como chegar

No norte do Brasil há uma praia pouco divulgada e conhecida: Alter do Chão.

Você pode até ter ouvido falar, mas as informações sobre a vila são bem escassas. Vou tentar organizar tudo aqui para facilitar sua visita.

Conheça Alter do Chão, veja qual é a melhor época para você visitar a vila e como faz para chegar lá.

Alter do Chão, quando ir e como chegar

Sobre

Alter do Chão é uma vila de pescadores da cidade de Santarém que acabou se tornando um destino turístico pela beleza e opções de passeio que possui.

É um destino de praia, mas suas águas não são de mar e sim de rio. A praia se forma apenas na seca, quando o Rio Tapajós baixa de volume e revela faixas de areia branquinha e ilhas paradisíacas.

Alter do Chão, quando ir e como chegar

A praia mais importante, que é cartão postal, é a da Ilha do Amor, mas há praias próximas que são opções na vila, como as do Lago Verde ou do Cajueiro.

Existem opções de passeios também. Como visitar comunidades de caboclos, que vivem na selva amazônica, ou ir às praias mais distantes, como a Ponta de Pedras ou do Muretá.

Alter do Chão, quando ir e como chegar

Quando ir

As pessoas que vivem em Alter do Chão dizem que a cheia é a época mais bonita, mas não há praia. Por isso a temporada de turismo é durante a seca.

Para ir na baixa temporada e na alta do rio, vá de abril a julho. Saiba que não haverá muitas opções de areia, mas a beleza pode te surpreender. A vila estará vazia e o comércio estará adormecido. Muita coisa fecha para férias, reformas ou abrem apenas nos fins de semana. Mas é possível encontrar vida, porque há comércio para os moradores. Os passeios podem sair mais caros, já que não haverá grupo.

Alter do Chão, quando ir e como chegar

Para ir na alta temporada e na baixa do rio vá de novembro a fevereiro. As faixas de areia são super extensas, o comércio é pulsante, fazer passeios é mais fácil e as opções de restaurantes e hospedagens serão maiores. Além de casas para alugar disponíveis. Os preços estarão mais altos, mas a vila não é cara em geral.

Para ir no meio termo, quando o rio e a temporada estão ou baixando ou aumentando vá em março, agosto ou outubro.

Em setembro, além de o nível do rio estar bom (está alto, mas possui faixas de areia), é o mês em que rola o Çairé, uma festa folclórica e religiosa. A cidade fica cheia e os preços e opções são como na alta temporada.

Como chegar

Alter do Chão é uma vila da cidade de Santarém, no estado do Pará, no norte do Brasil.

Santarém está localizada no Rio Tapajós, no caminho que liga Manaus a Belém. Por isso de barco você pode chegar a partir dessas capitais. De barco lento são dois dias para cada lado. Em barcos rápidos se chega em cerca de 24 horas.

O acesso por estrada é bem restrito. Só há estrada sentido sul, como para quem está no Mato Grosso ou Tocantins. O que dizem sobre as estradas é que são péssimas, mas há alguns carros com placa de outras cidades do Para e do Mato Grosso, a maioria 4×4.

De avião é possível chegar direto a Santarém, mas o aeroporto está bem distante da vila. Hoje um serviço de traslado ou táxi até Alter do Chão custa R$90. É claro que voo direto será mais caro que ir até Belém.

Alter do Chão, quando ir e como chegar

De Santarém você pode tomar um ônibus de linha, que custa R$2,50. O veículo diz apenas “Alter do Chão” e você pode pedir para descer na Dona Glória, caso não tenha ainda hospedagem. A praça principal de Alter está na rua de baixo dessa parada.

Um táxi deve sair por cerca de R$65 de Santarém até Alter do Chão.

Dicas

Alter do Chão, quando ir e como chegar

Eu cheguei em Alter desde Manaus. Foram três dias, mas meu barco atrasou a saída. Evite o Liberty Star (ou Amazon Star), porque é horrível. Ouvi dizer que o Barco Bartolomeu é bom e mais rápido. O preço é pouco mais caro, mas deve valer a pena.

Antes de entrar no táxi, verifique o valor que ele vai cobrar. Os R$90 que citei é uma referência de preço que usam na vila.

Em Alter do Chão há alguns hotéis, muitas pousadas e dois hostels. De hostel o Tapajós é a melhor opção, porque é mais barato, tem café da manhã e internet. Já o Albergue da Floresta é bem roots, mas não tem nada disso incluído e cobra mais caro na diária. Tem um camping e redário chamado Iguana. Pode ser uma boa opção para quem vai levar a barraca. Além disso há muitas casas disponíveis para aluguel de temporada, que é a melhor opção para quem vai viajar em grupo.

 

  • Catarine (20 de janeiro de 2016)

    Lindo, lindo, lindo <3
    Aqui tem tudo que eu estava procurando na vida!
    To louca pra fazer uma viagem pro norte e seis relatos estão me dando a maior luz!
    Gratidão!

    • Aline Rodrigues (20 de janeiro de 2016)

      Eba! É isso mesmo que queria 🙂 Alter é linda e ainda dá pra integrar em uma viagem a Manaus.

Deixe uma resposta

You Might Also Like

Here you can find the related articles with the post you have recently read.