Pé no Mapa – Passos de Ipiales a Bogotá

65º dia

Fomos até Cali em um micro-ônibus bem desconfortável. Ainda bem que era uma viagem diurna.

Nesse caminho, que levou cerca de 10 horas, vimos a presença pesada do exército nas rodovias. Pararam nosso ônibus para verificar documentos umas 5 vezes.

Uma das vezes, o soldado que entrou, desconfiou do nosso RG e pediu os passaportes. O Rodrigo teve que descer e abrir minha mochila para pegar. É que normalmente deixamos eles guardados por causa do visto e andamos apenas com os RGs.

Pé no Mapa – Passos de Máncora à Guayaquil e Baños

58º dia

Estávamos dormindo quando o ônibus parou para os tramites nas duas aduanas. Era 1h da manhã. A fila tava enorme e haviam poucos funcionários da imigração.

Foram duas horas de fila e espera. Nunca ficamos tanto tempo assim numa aduana. Sempre demora 20 minutos, 30 minutos. Foi cansativo e estressante.

Finalmente poderíamos dormir!

Pé no Mapa – Passos de Cusco a Machu Picchu (e Cusco de novo)

43º dia

Acordamos cedo, fizemos o check-out e guardamos as mochilas no hostel de Cusco, o Estrella.

Perto das 7h30 a van da agência passou para nos pegar. Na nossa van todo mundo falava francês. Sério! Havia uma família de franceses (pai, mãe e 3 filhos mochileirinhos), um casal de franceses, um mexicano (que falava francês) e um canadense (que também falava francês).

Pé no Mapa – Passos de Copacabana a Cusco

40º dia

Saímos às 18h de Copacabana e em 30 minutos mais ou menos tivemos que descer para dar saída da Bolívia.

Depois tivemos que caminhar poucos metros para dar entrada no Peru. Eu tinha deixado a câmera no ônibus e perdi a chance de clicar o logotipo do país que tem na entrada da cidade.

O pessoal da aduana peruana foi bem simpático, mas o cara que me atendeu me deu só 30 dias e o que atendeu o Rodrigo lhe deu 90 dias. #xatiada

Pé no Mapa – Passos de Oruro a La Paz

34º dia

Acordamos na manhã seguinte cansados e com fome, mas o alojamento não incluía café. Fomos a uma vendinha e compramos suco e bolachas. Quando fomos ver o suco tava vencido.

Mais tarde pegamos nossas roupas e partimos para a rodoviária. Enfim, não estaríamos mais em Oruro.

Compramos as passagens por BS15 por pessoa. Havia por Bs10, mas ia demorar mais para sair e eu precisava ir embora daquela confusão.

Pé no Mapa – Passos de Uyuni a Oruro

33º dia

Era 01h40 quando o trem Wara Wara partiu de Uyuni. Os assentos eram até confortáveis e parecia que seria uma viagem tranquila. E foi.

Na noite anterior eu havia sonhado, antes de saber que iriamos para Oruro, que um trem havia descarrilhado no Rio de Janeiro e que haviam morrido algumas pessoas que conhecemos na viagem. Lembrei do sonho quando já estávamos esperando no terminal. Me deu um pouco de medo, mas a viagem era lenta e deu tudo certo!

Pé no Mapa – Passos de San Pedro do Atacama a Uyuni

30º dia

Acordamos cedo para partir para a Bolívia pela primeira vez. O dia a dia bem especificado você pode ler aqui.

Conhecemos algumas das belezas da Reserva Nacional Eduardo Avaroa (REA) e passamos a noite num refúgio em frente à Laguna Colorada.

Fizemos amizade com todo o grupo, em especial com o James e o Francisco, chileno e argentino.