Cabeça d'água - Relato do dia eu que nasci de novo

Cabeça d’água no Saco do Mamanguá – O dia em que eu nasci de novo

Eu saí de casa pronta, com todas as informações para fazer um trekking no litoral sul do Rio de Janeiro, em Paraty, mas uma cabeça d’água cruzou meu caminho e eu quase morri.

Esse post é um relato de uma experiência intensa que eu vivi e que, felizmente e graças à família do seu Ailton da Praia do Engenho, teve um final feliz.

Relato Laguna 69 em Huaraz, Peru - Tudo o que você precisa saber

Trilha da Laguna 69 – Relato do rolê em Huaraz, Peru

Eu fui para Huaraz sabendo que provavelmente não conseguiria completar a trilha da Laguna 69, mas faria mesmo assim, porque é uma atividade da qual eu gosto. Imagina a minha surpresa quando vi aquela pontinha de azul surgir depois de tanto esforço!

Todo mundo que vai a Huaraz planeja fazer a Trilha da Laguna 69, mas nem todo mundo consegue completar a missão.

Acontece que a trilha de 14 quilômetros totais não é das mais fáceis. É subida pura (depois descida), a céu aberto e acima dos 4 mil metros de altitude. A ascensão da trilha da Laguna 69 é de mais de 700 metros. Os sintomas do soroche (mal de altitude), o calor misturado com o frio e o esforço físico faz uma seleção natural de quem deve alcançar ou não à lagoa azul das montanhas.

As 8 melhores maneiras de tirar fotos viajando sozinho. As dicas infalíveis para sair sem o carão de selfie

Viajar sozinha pra Gramado – como foi minha primeira experiência

Quando descobri meu amor por viajar eu tinha acabado de me casar. Foi na lua de mel.

Daí em diante fiz várias viagens, incluindo um mochilão de 5 meses pela América do Sul. Em todas elas eu estava com o Rodrigo.

A vontade de viajar sozinha estava crescendo a medida que lia relatos de viajantes solos, mas nunca tinha oportunidade.

Cheguei a escrever dois posts colaborativos com dicas para mulheres que querem viajar sozinhas. Teve que ser colaborativo, porque eu mesma não sabia como era essa experiência.

Agora eu sei! Fui para a Serra Gaúcha sozinha para uma viagem de 5 dias. Foi incrível! Uma das mais inesquecíveis viagens que fiz!

Carona de Santarém a Cuiabá - Brasil

Relato de uma carona de 1770 km – 5 dias de Santarém a Cuiabá

Uma semana muito louca, com noites dormidas nos mais diversos lugares, reencontros, medos e muita lama.

Trecho da transamazônica e da BR 163 vergonhosa, que diante da chuva causou filas com centenas de caminhões.

Esse é o meu relato sobre os 1.770 km de carona que percorri de Santarém, no Pará, à Cuiabá, no Mato Grosso.

Pé no Mapa – Passos de Ipiales a Bogotá

65º dia

Fomos até Cali em um micro-ônibus bem desconfortável. Ainda bem que era uma viagem diurna.

Nesse caminho, que levou cerca de 10 horas, vimos a presença pesada do exército nas rodovias. Pararam nosso ônibus para verificar documentos umas 5 vezes.

Uma das vezes, o soldado que entrou, desconfiou do nosso RG e pediu os passaportes. O Rodrigo teve que descer e abrir minha mochila para pegar. É que normalmente deixamos eles guardados por causa do visto e andamos apenas com os RGs.

Chacaltaya e Valle de la Luna – como são os passeios

Quando você estiver em La Paz vai perceber que ali não é uma cidade grande qualquer. Tem sítio arqueológico, tem montanhas, tem formações rochosas e muito mais.

Eu fiz o Chacaltaya + Valle de la Luna (que não tem nada a ver com o Valle de la Luna no Atacama). Vou contar nesse post como foi e quanto custou fazer o passeio por agência.

Pé no Mapa – Passos de Máncora à Guayaquil e Baños

58º dia

Estávamos dormindo quando o ônibus parou para os tramites nas duas aduanas. Era 1h da manhã. A fila tava enorme e haviam poucos funcionários da imigração.

Foram duas horas de fila e espera. Nunca ficamos tanto tempo assim numa aduana. Sempre demora 20 minutos, 30 minutos. Foi cansativo e estressante.

Finalmente poderíamos dormir!

O que fazer em San Pedro do Atacama

O deserto mais alto e mais árido do mundo está pertinho da gente, localizado no norte chileno, indo até o Peru (na verdade algumas áreas eram peruanas antes de uma guerra, mas enfim).

A cidade base para quem quer conhecer as belezas da região é San Pedro do Atacama, a queridinha dos brasileiros. Cada passo é uma palavra em português! O pessoal que trabalha lá já fala várias coisas na nossa língua e o portunhol é super usado por todos 🙂

O Atacama, para os brazucas, ou San Pedro, para o resto do mundo, possui um clima bem roots e uma energia bem gostosa. Mas também tem preços altos e um zilhão de agências vendendo as mesmas coisas. Enfim, cidade muito turística é assim!

Mas em compensação, as paisagens são incríveis e facilmente você faz 400/500 fotos no dia. Tudo parece pintura.

Pé no Mapa – Passos de Copacabana a Cusco

40º dia

Saímos às 18h de Copacabana e em 30 minutos mais ou menos tivemos que descer para dar saída da Bolívia.

Depois tivemos que caminhar poucos metros para dar entrada no Peru. Eu tinha deixado a câmera no ônibus e perdi a chance de clicar o logotipo do país que tem na entrada da cidade.

O pessoal da aduana peruana foi bem simpático, mas o cara que me atendeu me deu só 30 dias e o que atendeu o Rodrigo lhe deu 90 dias. #xatiada

Pé no Mapa – Passos de Oruro a La Paz

34º dia

Acordamos na manhã seguinte cansados e com fome, mas o alojamento não incluía café. Fomos a uma vendinha e compramos suco e bolachas. Quando fomos ver o suco tava vencido.

Mais tarde pegamos nossas roupas e partimos para a rodoviária. Enfim, não estaríamos mais em Oruro.

Compramos as passagens por BS15 por pessoa. Havia por Bs10, mas ia demorar mais para sair e eu precisava ir embora daquela confusão.