Tudo sobre viajar de ônibus pela América do Sul

Um território extenso, que pode ser percorrido desde o Caribe até a Patagônia por via terrestre.

Estou viajando há pouco mais de três meses pela América do Sul: foram quatro navegações, um voo, uma carona, um trem e inúmeras viagens em ônibus. Durante esses dias observei, aprendi e anotei tudo para dar as dicas e as informações aqui. Ah, que podem ajudar quem pretende dirigir pelo continente.

Como é viajar de ônibus pela América do Sul

Seguro viagem barato

♥ Preço

Viajar em ônibus é uma das formas econômicas para percorrer o continente. De todos os trechos que fiz ao longo da viagem até agora, a média por hora é de R$9,80, sendo a hora mais barata R$4,45 e a mais cara R$29.

Os ônibus que cruzam fronteiras são mais caros que os que percorrem território nacional, chegando a custar até o dobro.

Os preços aplicados pelas empresas que fazem os mesmos trechos não variam muito, no máximo R$15 de diferença.

♥ Estradas

De maneira geral, as estradas são boas, com sinalizações, bons pavimentos e, em alguns trechos, policiamento reforçado.

Algumas viagens proporcionam belas paisagens, com direito a Cordilheira dos Andes, lagos e etc.

Como é viajar de ônibus pela América do Sul

Estrada que liga o norte da Argentina com o norte do Chile

Como pagar barato em hospedagem

Reserve pelo Booking. Você não paga nada a mais por isso e ajuda a manter o blog

Não tive e nem vimos nenhum problema com acidentes ou estradas em péssimas condições.

Em alguns trechos as estradas são difíceis e perigosas por suas curvas. Isso ocorre em estradas construídas em montanhas, como o trecho Cusco-Lima ou Purmamarca-SanPedro de Atacama.

♥ Segurança

Não sofremos nenhum tipo de insegurança nos ônibus que usamos ao longo da viagem, mas estávamos atentos em alguns trechos.

Os mais conhecidos por insegurança são:

Os do Equador, com casos de furtos de objetos de dentro de mochilas e malas que ficam no bagageiro acima dos passageiros ou roubos de pessoas que embarcam no meio da viagem.

E os do Peru e Bolívia, com relatos de bagagem extraviada do bagageiro do porão, já que não possui identificação de bagagem ao embarcar.

Em compensação, as estradas da Colômbia são bem seguras, com presença forte do exército. Os soldados param os ônibus e verificam as identidades de todo mundo – especialmente os carros que chegam do sul do país (vindos do sentido Brasil, Peru e Equador).

♥ Distâncias e alcances

Como é viajar de ônibus pela América do Sul

Trecho entre Oruro e La Paz, ambos na Bolívia

Claro que isso depende muito de cada viagem, mas de forma geral, as distâncias podem variar de 2 horas a mais de 30 horas.

Há ônibus cruzando fronteira em quase todos os sentidos e, caso contrário, é fácil conseguir fazer o mesmo caminho tomando dois veículos.

Das principais cidades há ônibus para inúmeras cidades nacionais e das maiores cidades e capitais há ônibus que fazem trechos internacionais. Seja qual for seu roteiro, não haverá maiores dificuldades.

A maioria das viagens não serão diretas, fazendo paradas em cidades menores, justamente por causa da facilidade de encontrar ônibus para tudo quanto é lado.

De Santiago e Buenos Aires à Patagônia. Da Argentina à Bolívia. Do Chile ao Peru. De Bogotá ao Caribe… As possibilidades são imensas e completamente possíveis.

Entre os trechos mais buscados:

  • Salta – San Pedro de Atacama (cerca de 10 horas)
  • Copacabana – Cusco (11 horas)
  • Colônia del Sacramento – Montevidéu (2h30)
  • Cusco – Lima (20 horas)
  • La Paz – Copacabana (4 horas)
  • Bogotá – Cartagena (20 horas)

♥ Ônibus e terminais

Como é viajar de ônibus pela América do Sul

Ônibus boliviano

A maioria dos ônibus que pegamos eram decentes. A maioria com opções de cama e semicama, apoio para os pés e TV.

Cada país possui sua característica, mas pegamos desde ônibus com serviço semelhante ao de avião a carros com espaços mínimos (também como de avião) entre os assentos.

Cada país possui sua política de terminais terrestres. No Peru, por exemplo, os terminais quase não existem. Cada empresa possui sua própria garagem, de onde saem os ônibus e onde se vendem as passagens também. Isso dificulta na hora de cotar os preços.

A maioria dos países funcionam como no Brasil: um terminal onde todas as empresas atuam.

Outra coisa, é que no Peru, na Bolívia e no Equador é necessário pagar uma taxa de embarque, mas não custa como de voos. São valores simbólicos, que não chegam a R$3.

Uruguai, Argentina, Chile, Bolívia, Peru, Equador, Colômbia e Brasil. Como é viajar de ônibus por esses países:

Brasil – A maior parte das estradas brasileiras são boas, pavimentadas e bem sinalizadas, com radares para inibir o excesso de velocidade. O preço da hora é um dos mais caros, custando em média R$12,17. Todas as cidades possuem um ou mais terminais de ônibus. As empresas possuem ônibus mais antigos, mas as frotas estão se modernizando com carros com wifi.

Uruguai – Estradas muito boas e bem pavimentadas. O preço é o mais alto do continente, sendo R$19,03 por hora. No Uruguai há terminais municipais, ônibus simples, mas novos e com wifi. Em viagens mais longas há lanche incluído.

Como é viajar de ônibus pela América do Sul

Caminho entre Colonia del Sacramento a Montevidéu, ambos no Uruguai

Argentina – Estradas novas e bem sinalizadas, podendo ser difíceis em algumas regiões montanhosas, como no norte. Os preços são altos também, em média R$13,70 por hora de viagem. A maioria dos ônibus são novos e grandes e oferecem jantar e café da manhã em viagens longas. Não possuem wifi, mas transmitem filmes ao longo da viagem.

Chile – Só viajei uma vez de ônibus pelo Chile, então não posso ser injusta. O trecho foi de Purmamarca (na Argentina) à San Pedro do Atacama (no Chile). Nesse trecho a estrada é linda, mas difícil, por ser região montanhosa e com muitas curvas. A empresa que faz o trecho é chilena, por isso o preço entra como Chile, custando R$29 a hora.

Bolívia – As estradas são boas, em geral. No trecho para Copacabana era menos pavimentada, mas tranquila. O menor preço da América do Sul é o boliviano, custando R$4,45 a hora da viagem. As cidades possuem terminais, que são desorganizados. A maioria das pessoas compram as passagens na rua, porque poucos vendedores ficam nos escritórios das empresas. Isso é por causa da taxa de embarque, que poucas pessoas aceitam pagar. Os ônibus são velhos e malcuidados.

Peru – Estradas estreitas, mas bem pavimentadas. Grande parte delas são em montanhas, por isso são difíceis e cheias de curvas. A hora da viagem é barata, numa média de R$5,51. Os terminais existem em poucas cidades, como Cusco. Na maioria das vezes, cada empresa leva os passageiros para a garagem, de onde também partem as viagens. Alguns ônibus são velhos, mas também há ônibus novos, com serviço de bordo excelente (como a Civa), filmes durante a viagem e até alimentação incluída em algumas empresas.

Equador – Estradas comuns, sem problemas nem destaques. O preço é um dos mais baixos, por R$5,37 a hora. Os ônibus são pequenos e antigos, que possuem até sinal para desembarque. O que deixa o ônibus do Equador inseguro é que funcionam como os de linha, parando em qualquer lugar mediante sinal para embarque e desembarque. As cidades possuem terminais terrestres com escritórios das empresas.

Colômbia – Estradas estreitas e com forte presença policial. Especialmente no sul do país, o exército pode ser visto a cada 1 km. Sempre param os carros e ônibus para averiguar os documentos. A hora da viagem custa em média R$6. As cidades possuem rodoviárias como as do Brasil. Os ônibus são simples, com apenas um andar, normalmente. São simples e alguns são pouco confortáveis.

Nota: em nenhum país se tem o hábito de parar na estrada para refeições. Sabe esses restaurantes enormes nas rodovias brasileiras? Elas não existem!

Dicas

  • Use o site Rome2Rio para ver os preços, empresas e trajetos que deseja. Ele foi muito confiável durante meu mochilão.
  • Tenha sempre uma mantinha ou use seu saco de dormir. Normalmente o ar condicionado é bem frio durante a madrugada.
  • Leve sempre um lanchinho ou até mesmo comida (no estilo farofão), porque as vezes os ônibus levam horas para parar na próxima rodoviária e você pode sentir muita fome. Tenha dinheiro para comprar itens e alimentos que os ambulantes  vendem quando o busão para.
  • É bom estar confortável para as horas longas dentro do ônibus. Use roupas leves e boas para dormir, mas também para descer quando for necessário. Deixe o chinelo fácil para não se preocupar com o tira e põe do tênis.
  • Tenha seu próprio papel higiênico. Nem todo banheiro de ônibus possui papel (ou acaba e não é recolocado). Além disso, em algumas paradas, o banheiro não terá papel.
  • Moedinha e dinheiro trocado é de lei para usar os banheiros das rodoviárias. Quase nunca é de graça.
  • Caso não queira ouvir a TV ou o som que algum motoristas colocam, tenha sua própria playlist e um bom fone de ouvido.
  • Carregador portátil é uma boa, porque numa viagem de 20 e poucas horas sua bateria do celular já era.

Viaje com descontos e vantagens

Compre e reserve pelos links do blog

Anúncios

6 comentários sobre “Tudo sobre viajar de ônibus pela América do Sul

  1. Pingback: Tudo sobre hospedagem na América do Sul | Uma Sul Americana

  2. Aline , bom dia, na sua opinião é melhor comprar as passagens antecipadamente pela internet, por uma questão de segurança ou você não teve nenhum problema em compra-las no dia em que precisava ir para outro lugar ?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s