O que fazer em San Pedro do Atacama

O deserto mais alto e mais árido do mundo está pertinho da gente, localizado no norte chileno, indo até o Peru (na verdade algumas áreas eram peruanas antes de uma guerra, mas enfim).

A cidade base para quem quer conhecer as belezas da região é San Pedro do Atacama, a queridinha dos brasileiros. Cada passo é uma palavra em português! O pessoal que trabalha lá já fala várias coisas na nossa língua e o portunhol é super usado por todos 🙂

O Atacama, para os brazucas, ou San Pedro, para o resto do mundo, possui um clima bem roots e uma energia bem gostosa. Mas também tem preços altos e um zilhão de agências vendendo as mesmas coisas. Enfim, cidade muito turística é assim!

Mas em compensação, as paisagens são incríveis e facilmente você faz 400/500 fotos no dia. Tudo parece pintura.

Valle de la Luna no Atacama - tudo o que você precisa saber

As lindas cores do pôr do sol na Pedra do Coiote

O que fazer quando estiver em San Pedro do Atacama

ícone mapaValle de la Luna e Valle de la Muerte

O que fazer no Atacama - Valle de Luna

Pensa em uma região deserta com uma cadeia de montanhas e um vulcão ao fundo. O Valle de la Luna é assim.

No parque onde está localizado há a Cordilheira de Sal, que foi um lago há milhões de anos atrás. Suas formações curiosas foram feitas ao longo do tempo pela água e depois pelo vento.

Esse passeio é um clássico local. Quase todo mundo começa por ele, porque além de ser um lugar especialmente diferente de outros no mundo, é feito a tarde. Perfeito para quem chega na cidade querendo fazer alguma coisa.

Normalmente o passeio através de agências é feito junto com o Vale de la Muerte, mas quando fui a guia disse que estava fechado.

Você pode alugar uma bike e fazer por conta. Não fizemos porque não tinha a menor ideia (nem informação) se a estrada era plana, íngreme, acidentada… Pois bem! Ela é plana até chegar no parque. Lá dentro vão ter vários sobes e desces, mas se você curte andar de bike, acho que vale. Só se informe sobre mapinha do local para não perder nada.

Perto do pôr do sol as agências vão para um mirador, onde está a famosa Pedra do Coyote. O legal ali não é ver o sol se pôr, mas admirar a coloração que a cordilheira dos Andes e o vulcão Lincacabur ganham. Ficam avermelhados.

O que fazer no Atacama - Valle de Luna, Pedra do Coyote

Mas quando eu estive lá, o maior show mesmo foi a super Luna Roja (super lua vermelha) que surgiu no céu bem ao lado do vulcão. Esses dois fenômenos lunares aconteceram no mesmo dia e bem quando eu estava na cidade onde se encontram um dos centros astronômicos mais poderosos do mundo. Chorei!

  • Tempo – meio dia, à tarde
  • Entrada – 3 mil chilenos (cerca de R$20)
  • Tour com agência – 7 mil a 10 mil chilenos (R$40 a R$60)
  • Dicas:
  1. Leve lanterna para entrar na caverna
  2. Use roupa de calor, mas leve um corta vento para mais tarde
  3. Boné e/ou óculos escuros
  4. Protetor solar

Veja tudo sobre o Valle de la Luna aqui

ícone mapaGeyser del Tatio

O terceiro maior campo de gêiseres do mundo. São várias pequenas erupções que saem de pequenas (ou não tão pequenas assim) crateras no chão.

Seguro Viagem Barato e Confiável

Compre seu seguro por aqui. Você não paga nada a mais por isso e ajuda a manter o blog

O passeio é alto, viu! Alcança mais de 4.300 metros. E o frio? Nem em Ushuaia eu senti tanto frio. Chega a -15º.

A van da agência pega todo mundo perto das 5h e parte para o campo para chegar antes de o sol nascer. Isso porque as fumaças podem ser melhores vistas pela manhã.

Quando chegamos já estava claro, mas o sol ainda não estava visível. Eu estava passando frio dentro da van, que não tem calefação, mas lá fora fazia -11º.

O que fazer no Atacama - Geyser de Tatio

Ali é preciso muito cuidado. Uns quatro turistas já morreram por cair nas águas ferventes. E quem não morre fica bem ferido, porque é muito quente.

Durante o passeio se pode entrar por uns 15 ou 20 minutos em uma terma. Eu não entrei, porque tirar a roupa naquele frio não era nem um pouco convidativo, mas o Rodrigo entrou (e foi o único do nosso grupo).

Depois de andar pelas erupções fomos para um povoado chamado Machuca. Isso é mais para fomentar os ganhos do turismo local, porque não tinha nada demais lá, mas ali você pode provar carne de lhama.

Volta-se perto do meio dia

  • Duração – meio dia, parte da manhã
  • Entrada – 3.500 chilenos (R$22)
  • Tour – 17 mil a 20 mil chileno (cerca de R$125)
  • Dicas:
  1. Agasalhe-se bem
  2. Beba muita água e cuide para não sofrer soroche

ícone mapaLagunas Altiplânicas

Foto do blog Um ViajanteLaguna Miñique - Lagunas Altiplânicas, Chile

Esse é um dos passeios mais feitos por quem vai ao Atacama. Um dos mais lindos também.

As Lagunas estão dentro da ‘Reserva Nacional Los Flamencos’. Se não me engano, são quatro lagunas ao todo. No passeio há muita flora e fauna silvestre. A altitude aqui é de quase 5 mil metros.

  • Duração – dia todo
  • Entrada – de 3 mil a 5.500 chilenos, dependendo do roteiro da agência (de R$20 a R$35)
  • Tour – 30 mil (R$187)

ícone mapaPiedras Rojas

Tem quase o mesmo itinerário que o passeio anterior, por isso algumas agências sugerem integrar os dois.

Parece ser bem bonito. Possuem várias formações de core vermelha.

  • Duração – dia todo
  • Entrada – não me lembro se há
  • Tour – 40 mil chilenos (R$250)

ícone mapaLaguna Cejar

 Foto do blog Matraqueando

Esse é um dos passeios clássicos do Atacama. A Laguna Cejar possui grande concentração de sal, por isso seu corpo boia na água, como no Mar Morto.

O passeio normalmente passa pelo Ojos del Salar e Laguna Tebinquiche.

  • Duração – meio dia normalmente à tarde
  • Entrada – 17 mil chilenos (R$106)
  • Tour – 15 a 17 mil chilenos (R$95 a R$106)

Seguro viagem barato

ícone mapaSalar de Tara

Foto do blog Um ViajanteMonjes de la Pacana

É um dos passeios mais bonitos. Chega-se a 4 mil metros de altitude, já na fronteira com a Argentina. Na verdade, acho que passei por alguns dos cenários quando ia de Purmamarca a San Pedro do Atacama.

Não espere um salar branco como Uyuni ou Salinas Grandes. Pelo que vi em fotos são cenários andinos com fauna, flora, montanhas e muitos mais.

  • Duração – dia todo
  • Entrada – não há
  • Tour – de 30 a 50 mil chilenos (de R$188 a R$310)

Entre outros passeios, não tão pops:

ícone mapaTermas Puritama (tour – 20 mil)

ícone mapaValle del Arco-íris (tour – 25 mil)

ícone mapaTour Astronômico (tour – 20 mil)

Além disso tudo, ainda dá para chegar ao Salar de Uyuni, integrando passeios full day ou de 3 e 4 dias.

Do Atacama é mais caro, como descobri depois, mas foi como cheguei à Bolívia. Leia aqui o relato, dicas e informações desse passeio. Custa em média 100 mil chilenos.

Ah, uma dica que me deram lá no Atacama é que quem vai fazer Uyuni pode cortar numa boa o passeio das Lagunas Altiplânicas do Chile, porque no passeio pela Bolívia já estão inclusas muitas lagunas, com muito mais flamingos.

Esqueci de algum passeio? Comenta aí!


Compartilhe esta imagem no Pinterest e veja este artigo mais tarde

O que fazer no Atacama - Chile, América do Sul

Anúncios

4 comentários sobre “O que fazer em San Pedro do Atacama

  1. Pingback: Roteiro Chile, Peru e Bolívia – o que levar | Uma Sul Americana

  2. Pingback: Opções de Roteiro – Peru, Bolívia e Chile | Uma Sul Americana

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s