Machu Picchu - exploração financeira

Sete maneiras de chegar em Machu Picchu a partir de 1 dólar

O desejo de 10 em cada 10 viajantes! E a pergunta “como chegar em Machu Picchu” é a primeira que os 10 se fazem.

E te falo uma coisa: a maneira que você escolher chegar lá pode ser uma experiência à parte.

Nesse guia de Como chegar em Machu Picchu você vai ter muita informação para ajudar no seu planejamento.

Para mochileiros mãos de vacas ou para os mais endinheirados. Para sedentários ou para aventureiros. Existem sete maneiras para chegar em Machu Picchu e uma delas vai ser perfeita para o seu bolso e corpo.

UPDATE: Antes de começar pelas maneiras já garantidas, preciso acrescentar uma forma de chegar em Machu Picchu direto do Brasil. Lembrei dessa história que ouvi quando estava em São Thomé das Letras.

Reza a lenda que a Gruta do Carimbado leva direto até Machu Picchu, a mais 4 mil quilômetros de distância, por onde os incas teriam fugido para o Brasil na época da colonização espanhola no Peru.

Bom, acontece que nunca, ninguém, jamais chegou ao final da caverna para saber se é verdade ou não. Então fica a dica aí para quem quiser testar a teoria!

Mapa de São Thomé para a cidade de Machu Picchu no Peru
Leia mais sobre essa lenda aqui
Veja sete maneiras de chegar em Machu Picchu Pueblo à partir de 2 soles

Salve essa imagem no Pinterest e acesse esse post quando quiser

Como chegar em Machu Picchu | Parte 1

Quem quer conhecer Machu Picchu precisa primeiro chegar em Cusco.

Cusco tem aeroporto, mas os voos comprados do Brasil geralmente fazem conexão em Lima, há 1h30 mais ou menos.

Você pode chegar em Cusco também em ônibus de várias cidades peruanas, inclusive Lima, há 20 horas de distância. Além disso, é possível chegar direto de La Paz.

De trem desde Puno, fronteira com a Bolívia, são 10 horas de viagem – mais tempo que levaria indo de ônibus e mais caro também.

Sete maneiras de chegar em Machu Picchu Pueblo - Chegando em Cusco

Como chegar em Machu Picchu | Parte 2

A cidade base para quem quer conhecer a cidade perdida dos incas é Machu Picchu Pueblo, mais conhecida pelos Brasileiros como Águas Calientes.

Muitas das sete maneiras de chegar em Machu Picchu te leva primeiro a Águas Calientes e algumas te obrigam a passar pelo menos 1 noite por lá.

Sete maneiras de chegar em Machu Picchu Pueblo - Águas Calientes

Como chegar em Machu Picchu | Parte 3

Já em Cusco você tem duas opções para chegar em Machu Picchu: partir de Cusco ou partir de Ollantaytambo.

Os viajantes que partem de Ollantaytambo aproveitam um dos tours da região, chamado de Valle Sagrado.

Este passeio leva os turistas para conhecer, entre outras, as ruínas de Ollantaytambo. Basta avisar na agência no momento da compra que você deseja ficar na cidade.

Será necessário passar uma noite por lá e seguir para Águas Calientes, escolhendo algumas das sete maneiras abaixo.

Ollantaytambo - Como chegar em Machu Picchu

Como chegar em Machu Picchu | Parte 4 - 7 Maneiras

Partindo de Cusco ou de Ollanta, você têm sete opções para chegar em Machu Picchu. Você pode optar por uma forma de ida e outra de volta, como melhor se encaixar no seu bolso e na sua disposição.

DE TREM

term3-1783
Foto: Márcia – Blog Mulher Casada Viaja

A forma mais comum para chegar em Águas Calientes. Até 2009 havia como partir de Cusco direto para lá, mas agora o viajante deve seguir a Poroy, Urubamba ou Ollamtaytambo.

Para chegar a Poroy, a 15 km de Cusco, você tem três opções: táxi (30 minutos), micro-ônibus (leva 40 minutos e custa bem barato. Parte da C. Puente Rosário) ou de ônibus (cerca de 40 minutos. Parte da C. Monjapasta, bairro Santiago – avise o motorista que irá ficar em Poroy).

A Peru Rail opera três serviços de viagem até Águas Calientes: Vistadome, Expedition e Hiram Bingham. Os preços variam de acordo com o serviço e com a época (a alta temporada é de abril a novembro e de 21 a 31 de dezembro). O Expedition é o serviço mais barato e o Hiram Bingham, é o mais luxuoso. Comprando ida e volta sai menos caro.

As saídas começam às 6h40 em Poroy, com chegada prevista em Machu Picchu Pueblo às 10h.

Apesar de as distâncias não serem longas e o trem ser o transporte mais utilizado, os preços são bem altos. Escolhendo a ida e volta mais em conta (volta para o dia seguinte, por causa dos horários), as passagens custariam USD 137.

Acesse o site da Peru Rail e veja os preços e horários.

VIA HIDROELÉTRICA | ônibus + táxi

Expliquei em outro post como chegar em Machu Picchu via Hidroéltrica, que foi a forma que escolhi quando estive na cidade inca. Você pode ler mais informações e o relato da minha aventura.

Como chegar a Machu Picchu pela hidroelétrica

Em Cusco, na Avenida Antônio Lorena, há dois terminais de onde partem os ônibus para Santa Maria. O tempo de viagem é de 4 a 5 horas, aproximadamente.

Em Santa Maria é necessário pegar um ônibus até Santa Teresa, levando mais 2 horas.

De Santa Teresa você deve tomar um táxi ou kombi para a hidroelétrica numa viagem de 1 hora. O táxi pode ser compartilhado com outros viajantes ou você paga o total da corrida para ir sozinho.

Da hidroelétrica você vai caminhando, seguindo o trilho do trem. Essa trilha leva cerca de 2 horas. Leia o post que comentei para ver mais detalhes dessa caminhada.

O primeiro ônibus custa 25 soles; o segundo, 10 soles e o táxi compartilhado, cerca de 8 soles por pessoa, totalizando 43 soles por trecho.

VIA HIDROELÉTRICA | by car

Também explicadinho no post que mencionei, essa é a forma mais escolhida por mochileiros mãos de vaca (como eu).

Como chegar a Machu Picchu pela hidroelétrica

As agências de Cusco ou Ollanta vendem os passeios chamados Machu Picchu by car (ou by bus). As vans das agências saem de Cusco, passando nas hospedagens pegando os turistas e seguem viagem. Caso tenha passageiro em Ollanta, a van passa lá, se não, vão direto a hidroelétrica. Essa viagem dura cerca de 6 horas.

Chegando na hidroelétrica é necessário fazer a mesma trilha acima, somando 2 horas nesse trajeto.

Os preços variam de acordo com as agências e com os serviços que você pode incluir, como guia e hospedagem, por exemplo. Paguei 70 soles apenas na van, mas o mesmo serviço pode custar entre 60 e 90 soles. Com tudo incluído (inclusive entrada de Machu Picchu, guia e hospedagem em Águas Calientes) sai entre USD90 e USD110.

VIA TRILHO KM 82

Essa é a maneira mais barata de chegar em Machu Picchu, mas por ser longa, acaba não sendo muito escolhida pelos viajantes mãos de vaca. O governo proibiu essa trilha, mas a galera VID4 L0K4 continuam fazendo mesmo assim.

Sete maneiras de chegar em Machu Picchu - Machu Picchu pela Hidroelétrica

É necessário passar uma noite em Ollantaytambo. Da praça central do povoado, o viajante deve tomar um táxi até o km 82. Os taxistas estão habituados a fazer esse percurso.

De lá, segue-se o trilho do trem até Águas Calientes, sem erro – 28 km. Em cerca de 8 horas o viajante completa a missão, por isso deve-se sair cedo de Ollanta.

Esquece o fone de ouvido! É preciso ter muita atenção para ouvir os trens chegando, especialmente onde não há muito espaço, como nos túneis.

Os taxistas cobram entre 40 e 50 soles até o km 82 e no carro cabem até 4 pessoas, ou seja, o valor pode chegar a 10 soles. Os mais mãos de vaca ainda pegam carona nos caminhões que levam os trabalhadores da Trilha Inca por apenas 3 soles (1 dólar).

INCA JUNGLE TREK

Este roteiro é para aventureiros que curtem pedalar, já que parte do percurso é feito de bike e outra parte, a pé. Dura de 3 a 4 dias. No caminho há visita a alguns sítios arqueológicos.

Inca Jungle Trek - Como chegar em Machu Picchu de bicicleta
Foto de divulgação – Perú Grand Travel

De Cusco segue-se de carro até o povoado de San Luis, de onde descem de bicicleta até Santa Maria. De lá, segue-se a pé até Santa Teresa, margeando o Rio Urubamba. De Santa Teresa até a hidroelétrica de carro e de lá, a mesma trilha a pé seguindo os trilhos. O retorno para Cusco é de trem.

Os pacotes oferecidos pelas agências costumam incluir tudo: todos os transportes, bikes, acomodações, alimentação, guia e entrada em Machu Picchu.

Os valores variam muito dependendo da agência e do que o pacote oferece, mas custa entre USD250 e USD400.

TRILHA INCA

Uma das maneiras mais usadas por amantes de trilhas e campistas, a Trilha Inca é um antigo caminho dos incas e vai garantir uma das experiências mais gratificantes de visitar Machu Picchu.

Resultado de imagem para trilha inca
Foto de divulgação – Agência Machu Picchu Brasil

Essa é uma das trilhas mais famosas da América do Sul, por isso ela acaba se tornando super concorrida. Apenas 500 pessoas podem ingressar na trilha por dia, o que torna necessário garantir seu ingresso com pelo menos 3 meses de antecedência.

O percurso leva entre 2 e 5 dias, dependo do local de partida e do preparo físico de cada um e possuem dois trajetos: a Trilha Clássica e o Caminho Sagrado.

A Trilha Clássica tem início ou o km 88 ou no 82 (o mesmo km que mencionei no item 4) e é mais longo – cerca de 4 dias. Os 45 km combinam a linda paisagem das montanhas, floresta e selva sub-tropical, além de construções, ruínas e túneis Incas. O último dia é se encantar ao chegar em Machu Picchu.

O Caminho Sagrado é ideal para quem não tem muito tempo ou não está muito em forma. A trilha dura 2 dias, começando do km 104.

A Trilha Inca é cheia de regulamentos e proibições, como: não é permitido fazê-la sem guia, apenas 500 pessoas podem iniciar a trilha por dia, é necessário fazer reserva com no mínimo um mês de antecedência.

A volta é de trem. Dependendo da agência o trem é até Ollanta e de lá com van até Cusco, ou direto até Poroy.

Mais informações sobre a trilha podem ser acessadas no site oficial de Machu Picchu.

As agências costumam incluir tudo: transportes, alimentação, equipamento de trekking, ingresso da trilha e de Machu Picchu. Antes de fechar o passeio, verifique os equipamentos e certifique que são de boa qualidade.

Os valores para fazer a Trilha Inca Clássica giram em torno de USD500.

TREKKING DE SALKANTAY

Uma opção mais barata para quem não pode pagar os USD 500 da Trilha Inca, o Trekking de Salkantay é mais puxado!

Foto: Aline Franciscone – Relatos de Botas Batidas

São 70 km de caminhada, dividido entre 5 e 7 dias. O atrativo dessa trilha é a paisagem, com picos nevados, como o Salkantay.

Além da caminhada em si, o aventureiro que segue por essa trilha vai ter que lidar com a altitude, que começa em 2.800 e sobe até 3.800 já no primeiro dia. No segundo dia anda-se a 4.500 m de altitude.

O Trekking de Salkantay chega em Santa Teresa entre o terceiro e o quinto dia e segue a trilha da hidroelétrica também. A volta é feita de trem.

As agências que vendem esse pacote em Cusco incluem tudo o que o trilheiro vai precisar: guia, todos os transportes (incluindo o trem), equipamento de camping, alimentação, cavalos para levar a bagagem pesada, entrada para Machu Picchu e as águas termais de Santa Teresa.

Vejam o relato da Aline e muitas fotos lindas aqui.

Os pacotes custam cerca entre USD300 e USD400, mas não vale a pena economizar, porque as agências mais baratas podem fazer o viajante levar a maior parte da carga, o que acaba sendo muito cansativo. Peça para ver os equipamentos e confira a qualidade deles antes de fechar o trekking.

Como chegar em Machu Picchu | Parte Final

Como chegar a Machu Picchu pela hidroelétrica

Depois que você chegar em Águas Calientes, passando uma noite ou não, é preciso subir a montanha e você tem duas opções: van ou escada.

Para subir de van, há uma parada próximo à ponto e ao trilho do trem. A fila começa a se formar às 4h e vai ficando longa a medida que o tempo passa.

Para subir de escada, é só passar por essa fila e seguir caminho, que é um breu! O portão abre às 5h e a fila vai se formando à partir das 4h. Aqui não tem muita importância essa fila, não. Cada um segue no seu ritmo. São 1.700 metros de escada, então prepare o joelho! Levei 2 horas, mas os mais preparados sobem em 40 minutos.

Para descer as duas opções são possíveis também. Muita gente sobe de van e desce de escada.

⇒ Quanto custa: O preço da escadaria é suor! Você não paga nada. Clique aqui para ler minha experiência. As vans custam USD12 cada trecho, total de USD24 para subir e descer de van.

Ajude a rentabilizar o blog

Usando os links abaixo, você me ajuda a rentabilizar o blog e não paga nada a mais por isso

Assine a news

Dicas, informações, roteiros e inspirações no seu email

Nome
Email
Me identifico como

  • Fabricio (12 de agosto de 2017)

    Uau, li e favoritei. Certamente vou usar muito essas dicas. Machu Picchu está muito na minha lista.

  • Sy (13 de agosto de 2017)

    Muitas maneiras de chegar e com um bom custo! Ta tido anotado!

  • Deisy Rodrigues (14 de agosto de 2017)

    Amei seu post, nem sabia de tantas opções para chegar em Machu Pichu, confesso que não tenho muita disposição pra trilha mas esse de 2 dias até acho que consegui encarar, apesar que é bem salgada, já favoritei seu post aqui. Parabéns.

  • Marcia (14 de agosto de 2017)

    Parabéns pelo post, Aline, tudo o que as pessoas precisam para viver este sonho!

  • Ana Carolina Miranda (14 de agosto de 2017)

    Quero muito conhecer Machu Picchu e adorei ler seu post, pois economizar é comigo mesmo! Ótimas dicas

  • GUSTAVO GUEDES (14 de agosto de 2017)

    Muito boas aa dicas. Obrigado!

  • angiesantanna (15 de agosto de 2017)

    bahh ainda acho q a van eh a melhor opcao pra quem ta limitado na grana ahueahuea n ia sobreviver depois de caminhar alguns dias ahueahe

    • Aline Rodrigues (15 de agosto de 2017)

      Eu também acho! Eu ia ter que passar pelo um dia a mais de molho em Águas Calientes e acabar gastando com hospedagem HAHAHA

  • Henderson (17 de agosto de 2017)

    Confesso que fiquei um pouco chateado com o post, (não com vc)para nós amantes de trekking pagar mais caro! teria que ser o inverso :/, vou acompanhá-la no site pois as dicas são ótimas. Obrigado

    • Aline Rodrigues (17 de agosto de 2017)

      Obrigada, Henderson.
      Pois é! Trekking deveria ser mais barato mesmo, afinal suas pernas são seu veículo, mas em se tratando de Machu Picchu, vemos uma exploração financeira bem grande.
      Mas fica aí a oportunidade de ir a pé desde Ollanta. É proibido, mas não se paga nada.
      Beijos

      • Henderson (19 de agosto de 2017)

        Eu que agradeço as dicas, no caso o ingresso eu compro na portaria ?

        • Aline Rodrigues (19 de agosto de 2017)

          Você pode comprar na Secretaria do Turismo, que fica perto da Plaza de Armas em Cusco.

LEAVE YOUR COMMENT

Your email address will not be published.

You Might Also Like

Here you can find the related articles with the post you have recently read.